Nostalgia gastronômica



Quando nos mudamos de pais sempre sentimos falta de alguma comida de nossa terra. Coisas que, na minha opinião não são melhores nem piores do que o que encontramos em nossa nova pátria, mas nos são familiares, reconfortantes.

***

Essa semana ao ler em algum lugar que o queijo la vache qui rit era igual ao polenguinho brasileiro me lembrei de uma coisa:

Como eu já comentei no começo do blog eu morei dos 13 aos 17 anos na França. Foi lá que conheci várias comidinhas das quais até hoje eu sinto essa nostalgia gastronômica ou que passaram a fazer parte de meu dia a dia, como o nutella. E foi lá que experimentei pela primeira vez o queijinho da vache qui rit, que passou a fazer parte de nosso dia a dia francês.

Aos 17 anos, ao voltar ao Brasil, comi pela primeira vez um polenguinho. Minha reação? Foi acha-lo igualzinho ao vache qui rit. E passei comer o polenguinho quando batia aquela nostalgiazinha, aquela vontade de comer o queijo de minha infância que era o da vache qui rit.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • Twitter
  • RSS

5 Response to "Nostalgia gastronômica"

  1. Apoema says:
    29 de janeiro de 2012 06:50
    Este comentário foi removido pelo autor.
  2. Apoema says:
    29 de janeiro de 2012 06:52

    Eu comi o "vache qui rit" aqui no Brasil mesmo, comprei no Pão de Açúcar e tb achei bem parecido com o Polenguinho, exceto no preço...
    Acho que em minhas viagens pela França acabei me apaixonando por pato, sobretudo o confit de canard, o que não tem muito como ser substituído no Brasil, e é muito caro por aqui. Qdo bate uma vontade louca, a gente fica guardando pra matar numa data especial, 1 vez no ano, e vamos comê-lo no restaurante Ici, em Higienópolis, pq a conta fica bem salgada!!!

  3. Manuela Zaccara says:
    29 de janeiro de 2012 07:04

    Apoema, eu tb AMO tudo que for de pato. Morei 4 anos em Toulouse, entao nao tinha como escapar a isso. Aqui quando a saudade bate forte o que faço é comprar um maigret de canard que custa tipo 10 dolares. Mas como eu sou sozinha da para 2 porcoes. rs. Normalmente eu asso ele apenas com sal e fica DELICIOSO. Ai, agora beteu vontade de um bom cassoulet tb. Culpa sua! rs.

  4. Apoema says:
    29 de janeiro de 2012 19:50

    Hahaha...Amo cassoulet!!!Esse, pelo menos, dá pra dar uma adaptada e fazer, de vez em quando. Meu marido adora!
    Então, a primeira vez que comi confit e magret foi em Toulouse:) Um super amigo nosso morou (acho que foi estudar) lá e disse que não poderíamos não experimentar. E foi ótimo! Sem falar que achei o atendimento maravilhoso.
    Mas o cassoulet fantástico foi em Carcassone:) Uhn, água na boca!!!
    Quem sabe a gente não acaba dividindo um magret ainda este ano:) Beijo!

  5. Carolina et mon chum says:
    30 de janeiro de 2012 14:23

    Eu tb adoro esse queijo, principalmente aqueles redondinhos, que tem vermelho, amarelo, branco...